Amigos, o assunto que propus falar hoje, também não é desconhecido para nós que aqui estamos: - Reencarnação. Apenas não sabemos como se dá ou pelo menos alguns de nós, mas a intuição nos diz, que nossa origem não iniciou nesta vida, neste corpo simplesmente, e eu afirmo: Claro que não! Daí, pensarmos que estamos vivendo sob um processo momentâneo de alucinação, pois não há uma explicação plausível para que tal fato ocorra, por exemplo, ver ou se reconhecer como sendo outra pessoa em país, local e família, vivendo situação totalmente diferente de nossa atual existência. Isso de certa forma, pode nos parecer incoerente, se não houvesse a chave que elucida esse acontecimento: - "A reencarnação". E creia, reencarnação é uma "Lei Divina", e como tal, não compete aos seres humanos derrogá-la, como ocorreu no ocidente na época do obscurantismo, na Idade Média.

Todos nós que aqui estamos já fizemos experiências nos reinos: mineral, vegetal e animal, em nossa ascensão até o reino humano ocorreram inumeráveis nascimentos e mortes e, nesse processo de nascer e morrer desenvolvemos em nossos corpos centrais de forças, conhecidas como "chakras". Essas centrais de energias são conhecidas pelo nome de: chakras receberam nomes atualmente conhecidos por nós ocidentais dos relatos de estudiosos da ciência esotérica oriental, principalmente aqueles que viveram e vivem no Oriente.

Esses chakras ou usinas de força é o meio que nos proporcionam as condições de desenvolver e despertar as potencialidades latentes do "Ser" ou "Consciência" aguçando as percepções e os meios de acessar planos cada vez mais elevados. Essas percepções são as ferramentas localizadas também em corpos mais sutis que esse nosso e possibilita-nos as condições de acessar alguns cenários registrados em nós mesmos e nos registros "Akashicos", esses cenários seriam difíceis de serem plasmados, mesmo que tivéssemos a mais fértil e criativa imaginação. É nesse momento crucial que sentimos a necessidade da colaboração de alguém com experiência para responder a nossas indagações, pois escrituras que explicavam a evolução do "Ser" ou "Consciência" haviam sido destruídas, nos incêndios de grandes bibliotecas que existiam nos períodos de conquistas e barbárie.

Por isso a Hierarquia, que é a responsável pelo processo de instrução da humanidade, fez o convite aos mestres no sentido de colaborar com a humanidade esclarecendo-a. Muitos deles, por um carinho e amor muito especial aceitaram renascer entre os humanos, a fim de, fazer com que a "Luz Divina" tornasse a brilhar no planeta e então, essa época ficou conhecida entre nós como sendo a era do "Iluminismo", que fez brilhar no ocidente novamente as artes e ciências.

Como o assunto a respeito da "reencarnação" era e é ainda muito complexo e difícil de entender, por isso recebeu o concurso de Seres enviados pela Loja existente no Plano Búdico. Ao reencarnar procuraram detalhar todo o processo de reencarnação do "Ser" ou "Consciência" de forma a facilitar o entendimento e compreensão do delicado processo.

Há uma obra que detalha amplamente todo o nosso processo de evolução, chamada: "Tratado Sobre Fogo Cósmico" de Alice Ann Bailey, na seção D, número 3, letra c, cuja definição é a seguinte: "A palavra encarnação" em sua acepção radical significa expressar a verdade fundamental que implica tomar um corpo físico denso, e tecnicamente deveria ser aplicada somente a esse período de manifestação que concerne aos três sub-planos inferiores do: a) plano físico cósmico, em relação com um Logos solar e um Logos planetário; b) plano físico do sistema, em relação com o homem." E aqui ele segue discorrendo sobre o assunto muito complexo e amplo.

No Livro dos Espíritos, o assunto também não passou desapercebido à atenção do codificador, ao fazer a seguinte indagação: "Pergunta 132. Qual é a finalidade da encarnação dos Espíritos? R. Deus a impõe com o fim de leva-los à perfeição: para uns é expiação, para outros é uma missão." "Mas, para chegar a essa perfeição, eles devem sofrer todas as vicissitudes da existência corpórea: nisto é que está a expiação. A encarnação tem ainda outra finalidade, que é a de por o Espírito em condições de enfrentar a sua parte na obra da criação."

É para executa-la que ele toma um aparelho em cada mundo, em harmonia com a sua matéria essencial, a fim de nele cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. E dessa maneira, concorrendo para a obra geral, também progride." Em O Livro dos Espíritos o Sr. Allan Kardec, segue com uma seqüência de perguntas de tal forma que o assunto fique bem esclarecido.

A Dra Annie Besant, estudiosa e colaboradora do Esoterismo, também escreveu sobre o assunto em seu livro "Reencarnação" Editora Pensamento, diz na introdução o seguinte: "Se é certo ser difícil conseguir que qualquer verdade nova se faça ouvir no meio da luta e das discussões características da nossa civilização moderna, ainda mais difícil é conseguir que se dêem ouvidos a uma verdade que se fez nova à força de ser Antiga." Depois, ainda segue citando outros ilustres pensadores que também trataram do assunto, tais como: Paracelso, Boehme, Swedenborg, Giordano Bruno, Campanella, Schopenhauer, Lessing, Hegel, Leibnitz.

A ilustre pesquisadora "Dra. Annie Besant", faz ainda uma citação muito importante de um sábio oriental que esclarece a reencarnação, principalmente esta que consta no "Bhagavad Gitá", no diálogo do Sr. Krishna com seu discípulo Arjuna, cujo teor é o seguinte: "Estes corpos finitos que envolvem as almas que os habitam, diz-se que pertencem àquele espírito eterno, imperecível e incognoscível que está no corpo..." "Engana-se aqueles que pensam que o espírito mata ou pode perecer; pois nem mata, nem pode ser destruído".
"Dele ninguém pode dizer: foi, é, será, e continuará a ser; pois nunca nasceu, nem parará na morte." Sendo ele incorruptível, eterno, indestrutível, pode o homem pensar que pode matar ou morrer?" Assim como um homem se desfaz do vestuário velho e passa a usar outro novo, assim o morador do corpo, depois de abandonar os seus invólucros mortais antigos, entra noutros novos (corpos)."

Em seqüência, também há uma informação na obra chamada "Origens da Civilização Adamica" ditada pelo, Espírito "Sisedon de Troad", para isso ele utilizou processo telepático, cuja informação e a que segue: "Os Profetas Brancos", Seres que emigraram da Atlântida para o Oriente, antes que ocorresse a catástrofe do afundamento, pertenciam à Fraternidade Kobda, esses Seres eram seguidores e guardiães dos ensinamentos do "Instrutor Espiritual Sr. Antulio", que esteve reencarnado na "Velha Atlântica". Os ensinamentos do Sr Antulio eram gravados em pergaminhos e pedras, e no Oriente esses ensinamentos ficaram conhecidos como escrituras do Patriarca Aldis. Sr. Moisés tomou conhecimento desses ensinamentos no inicio de suas viagens cuja finalidade era reunir os Anacoretas que guardavam ensinamentos esparsos, esses Anacoretas foram os responsáveis em trazer esses ensinamentos esparsos nascendo daí a Fraternidade Essenia, que iria dar suporte à vinda do Instrutor Espiritual no Futuro, o Sr. Jesus.

Profetas Brancos eram assim conhecidos por usarem habitualmente, túnicas brancas, utilizando a faculdade de clarividência sabiam e acompanhavam a seqüência de reencarnação de irmãos empenhados em levar adiante os ensinamentos do Instrutor espiritual. Quando ocorria a morte de um desses membros seus corpos eram recolhidos, embalsamados e guardados em urnas, dessa forma eles podiam eles observar a melhoria que ocorria nos corpos a cada encarnação e concluíam que, à medida, em que o Ser evoluía, havia também uma evolução da matéria que compunha os corpos.

Em uma obra que digitei chamada: "Teoria dos Chakras" Ponte para a Consciência Superior Editora Pensamento, o autor "Dr. Hiroshi Motoyama", cita na página 214 do original e 184 da que digitei, o seguinte: - "Swami Satyananda" faz um comentário referente ao chakra Múládhára, expressando a seguinte teoria: - "A criação da vida se dá quando o prakriti (a substância original) se manifesta, ordenado pela Consciência de Purusha (Espírito, o Ser Verdadeiro)."

À medida, que a matéria sofre uma série de transformações, realizam-se sucessivos estágios na evolução animal, e os sete chakras inferiores, que existem nos humanos abaixo do Múládhára, são desenvolvidos e ativados gradativamente. Quando esse processo atinge o chakra Múládhára, termina a evolução animal e começa a humana. Os seis chakras superiores representam a extensão completa do possível desenvolvimento humano." De igual maneira poderíamos estabelecer uma ponte entre esse conceito elaborado pelo ilustre iogue "Swami Satyananda" e concluir que nossa evolução no reino humano termina quando conseguirmos ativar e desenvolver o último centro de força ou chakra, conhecido por "Sahasrara" ou coronário, sendo que este último é o que nos possibilitará a condição de sermos liberados dos sucessivos nascimentos e mortes.

O Espírito Dr André Luis, cita também em sua obra Nosso Lar, pág. 259 "A Volta de Laura" o seguinte trecho: "Não só minha mãe se preparava para regressar aos círculos terrenos. Também a senhora Laura encontrava-se em vésperas de grande cometimento." Avisado por alguns companheiros, aderi à demonstração de simpatia e apreço que diversos funcionários, particularmente, do Auxílio e da Reencarnação, iam prestar à nobre matrona, por motivo de sua volta às experiências humanas. Realizou-se a homenagem afetuosa na noite em que o Departamento de Contas lhe entregou a notificação de tempo global de serviço na colônia. O Espírito Dr. André Luiz, diz: "Não é possível traduzir, em letras comuns, a significação espiritual da festa íntima."

O Espírito Dr André Luis, segue comentando em detalhes e eu fiz questão de anotar este que elucida a questão da reencarnação: - E não podemos esquecer que Laura volta à Terra com extraordinários créditos espirituais. Ainda hoje, o Gabinete da Governadoria forneceu uma nota ao Ministério do Auxílio, recomendando aos cooperadores técnicos da Reencarnação o máximo cuidado no trato com os ascendentes biológicos que vão entrar em função para constituir o novo organismo de nossa irmã."

Não poderia deixar de anotar para conhecimento de todos uma informação que consta na página 17 do livro "Francisco de Assis" que o Espírito Miramez ditou ao médium João Nunes Maia Editora Fonte Viva, cujo teor é ao seguinte: "Certa feita, o vidende de Patmos passeava pelas encostas da ilha, sentindo a natureza responder a todas as suas interrogações. Conversava animadamente com alguém, esquecendo-se de que estava acompanhado por dois agentes de Roma, que vigiavam os seus passos, por ordem do Império. Já que não podiam matar o agente da luz antena mais apropriada para captar as mensagens do mundo espiritual que ficasse, pelo menos, isolado do resto do mundo." Os soldados ficavam sobressaltados, pois João era visitado constantemente pelos velhos companheiros de sacrifícios em todo o movimento cristão. Falava com Pedro, Tiago, Barnabé, Maria, Felipe e tantos outros que o precederam na jornada para o além.

Pelo exposto já é possível ter uma idéia de como se processa a reencarnação do "Ser ou Consciência" no plano físico, é possível perceber também que esse processo de preparar o encarnante envolve o concurso de uma grande equipe de técnicos experientes e abnegados, que estudam os mínimos detalhes do "Ser ou Consciência" reencarnante, tais como: país, local, ambiente familiar, e o tipo de atividade que irá executar. Tudo isso visando nos proporcionar as condições adequadas no desempenho de nossas atividades e exercício do aprendizado sublime de crescer para Deus.

Bem, agora os amigos me perguntam, e o carma. Carma meus amigos certamente todos nos o temos, mas creiam, temos um grande "Ser" que advogam nossa causa, ante os Senhores administradores do carma, e ele sempre diz: "Misericórdia quero", portanto confiemos nEle o divino Mestre Sr. Jesus. O Juiz mais rigoroso é nós mesmos, o "Ser ou a Consciência".

Bem amigos, acho que muitas minhocas (????) foram colocadas em vossas cabeças, boa meditação.

 

 

Free Web Site Counter
hit Counter